Dia das Mães – Presidente fala à Nação

Neste domingo, em seu 15º pronunciamento em rede nacional de veículos de comunicação desde o início da pandemia da Covid-19, o presidente homenageou as mães que perderam parentes e amigos queridos durante essa tragédia.

Ele lamentou os 106 mil brasileiros mortos e se solidarizou com suas famílias. Em seguida, discorreu sobre os esforços de seu governo para minimizar os efeitos da pandemia. Destacou o “Auxílio Emergencial” no valor de um salário-mínimo concedido às famílias mais pobres já há um ano e anunciou sua extensão por mais seis meses.

“A maioria do povo brasileiro vive em condições extremamente precárias, não têm a menor possibilidade de enfrentar com dignidade essa situação terrível que já se arrasta há mais de um ano”, disse. “Aqueles brasileiros e brasileiras que moram nas ruas, em favelas, palafitas, cortiços, quilombos e aldeias indígenas, aqueles que estão desempregados, não podem atravessar por essa catástrofe sem o apoio cotidiano dos governos e das prefeituras. São os desprotegidos pelo Estado, os que mais sofrem hoje. Felizmente temos o SUS, caso contrário o número de óbitos seria muito maior”, salientou.

Na véspera o ministro da Saúde, em sua entrevista coletiva diária, havia confirmado a chegada no aeroporto de Salvador de mais 10 milhões de doses da vacina Sputnik, fabricada na Rússia. Todas serão destinadas à Região Nordeste.

Ao lado do cientista coordenador do Comitê de Especialistas criado pelo governo em abril de 2020, o ministro afirmou que em poucos dias cerca de 48% da população nordestina estará vacinada com a primeira dose e 34% com a segunda.

Em todo o país 40% da população foi vacinada com a primeira dose e 31% também com a segunda, entre eles todos os brasileiros com mais de 60 anos de idade.

O presidente lembrou que além das vacinas produzidas pela Fiocruz e pelo Instituto Butantã, o Brasil importa insumos e vacinas de diversos países. A maioria foi produzida pela Pfizer, em função do contrato firmado em agosto de 2020 pelo governo brasileiro e a empresa farmacêutica americana.

O presidente havia desembarcado em Brasília pela manhã, vindo de Bruxelas, onde participou da reunião emergencial do G20.

Em seu pronunciamento o presidente explicou aos brasileiros os obstáculos encontrados para ampliar esses números. “Faltam vacinas no mercado. Se não fossem as excelentes relações que temos com a China, a Índia e a Rússia, todos membros dos BRICS e produtores de insumos ou vacinas, não atingiríamos esses números de hoje”.

Em seguida o presidente afirmou: “Eu sei que estamos ainda muito abaixo das nossas necessidades, mas eu preciso enaltecer a sintonia que tivemos com todos os governadores desde o início da pandemia”.

Na conclusão, o presidente agradeceu ao Congresso por aprovar o fim do chamado “teto de gastos” e aos ministros que aceitaram cortar seus orçamentos, em particular ao da Defesa, permitindo assim a alocação de mais recursos para o SUS.

A média móvel de óbitos no Brasil cai desde o mês de janeiro deste ano. Segundo o presidente, “foram fundamentais para o avanço da vacinação as campanhas publicitárias ininterruptas patrocinadas pelo governo federal dando as orientações básicas para a população enfrentar a pandemia”.

O presidente pediu em seguida o respeito a um minuto de silêncio em homenagem aos brasileiros mortos.

Após o pronunciamento do presidente, a TV Brasil exibiu o filme “Minha Mãe é uma Peça”. Falando de sua casa, o ator Paulo Gustavo, disse: “Creio que essa é uma boa maneira de homenagear todas as mães do mundo, em um momento de enorme tristeza”.

Celso Marcondes – Diretor do Instituto Lula

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário