13 de Maio NÃO é dia de Negro, de Negra nem de Negre

É o dia para divulgar e denunciar o racismo estrutural e sistêmico, em todas as suas dimensões e crueldades. Um racismo que objetifica as mulheres, executam jovens, desumaniza e banaliza as identidades, subjetividades, religiosidade e a diversidade cultural de pessoas negras sequestradas e tornadas escravas.
É dia de expor o aviltamento da população negra que vive em condições de subalternidade e empobrecimento programado.
A essência do racismo se estrutura na omissão e no “esquecimento” de negros e negras pensadoras/es, intelectuais, artistas, inventores/as…
É o apagamento do imaginário, inclusive dentro das esquerdas
Quantos/as negros/as compõem mesas de debates sobre qualquer tema que não seja específico da negritude?

#VidasNegrasImportamMuito

Luciene Malta – Mulher negra, militante petista, graduada em Comunicação – Unicap especialista em Cultura Pernambucana – Fafire

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário