Parabenizar Eduardo Leite?

Entendo e respeito a importância do Governador do estado, Eduardo Leite, assumir publicamente que é um homem gay. Como sempre digo, nós gay podemos estar aonde quisermos.
Acredito que, quem até ontem via como difamação ser comparado a um gay, tenha tido seus motivos políticos, e que eles tenham sido bem ponderados. Eduardo ser gay não é notícia, Eduardo se posicionar, sim. Por mais estratégico que tenha sido, fica meu reconhecimento.
Mas, me desculpem todes, inclusive o Sr Governador, mas eu não consigo ir além desse reconhecimento.
Parabéns, mesmo, eu quero dar pra todas as manas pretas que queimaram para existir – e para que nós LGBTQIA+ existamos.
Parabéns eu quero dar para todas as travas e as afeminadas que morreram e morrem ainda hoje, nesse que é o país que mais mata pessoas da população LGBTQIA+; para que as portas da nossa existência fossem abertas.
Parabéns a todas as lésbicas masculinizadas que sofrem em uma sociedade machista.
Parabéns para todas as bichas pretas que são marginalizadas ou têm seus corpos objetificados.
Quero dar Parabéns para toda bicha que apanhou na escola, por ser “menininha “.
Parabéns para as pessoas que, como eu, botaram a cara sol e foram para as ruas nas campanhas eleitorais dizendo que eram pessoas LGBTQIA +, e que fizeram isso mesmo sendo hostilizadas, mesmo com medo de apanhar.
Não pra quem dizia ser “difamação” se alguém levantasse a possibilidade de ele ser gay.
Não quero parabenizar quem usou de todos os privilégios de homem branco cis hetero, de classe alta como ele fez.
Não quero e não vou parabenizar um Governador que não investe em Políticas Públicas para a população LGBTQIA+, que ignora questões como a saúde, educação e inclusão da nossa população.
Não quero e não vou parabenizar alguém que defendeu, apoiou e preferiu fazer campanha para um candidato extremamente LGBTQIA+fóbico, quando a outra opção era alguém que estava ao nosso lada da luta. Quando a opção ao genocida Bolsonaro era o PT, que, no Governo Lula, elevou a Secretaria de Direitos Humanos à Categoria de Ministério, que criou o Programa Basil sem Homofobia, que fortaleceu o Conselho Nacional Contra Discriminação e LGTBfobia, que realizou as Conferências Nacionais de Políticas Públicas e Direitos Humanos LGBT, que criou o Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos LGBT, que criou o módulo LGBT no Disque 100, que realizou alterações significativas no SUS, o uso do nome social, dentre tantas outras ações.
Então, eu reconheço a importância do ato, mas ele vem com um peso de oprimido tentando oprimir, e isso não posso e nem vou exaltar.
Lembrando que o Governador gay (sim, pois ele faz questão de por seu cargo a frente de sua existência, como se essa fosse menos) continuará sendo um político de direita, liberal, que não vê na defesa dos direitos uma bandeira de luta.

CHEGA DE ENTERRARMOS AS NOSSAS ENQUANTO GOVERNADORES NÃO FAZEM ABSOLUTAMENTE NADA!

Por Gaudêncio Fidelis Do Ton Falcão

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário